Pesquisar este blog

Carregando...

quinta-feira, 12 de abril de 2012

Lar doce... ofício!

É assim.. assumir uma nova empreitada na profissão divertida e exaustiva que é a arquitetura assemelha-se ao cuidado e zelo dedicado a um novo filho, toda a preocupação nos detalhes e acertos durante o processo de crescimento desse novo "elemento" é uma boa fase de descoberta que muito se assemelha a afeição de um pai com sua cria.

A pedidos do jovem casal com uma vasta bagagem de idéias e desejos pré-estabelecidos iniciamos essa reforma residencial começando pela mudança da fachada. A varanda superior deu lugar ao closet do casal na suíte master e o antigo telhado foi substituído por um mesanino que tem seu acesso pela própria suíte.


Os pilares assumiram a forma diagonal com o intuito  de suavizar a largura exigida para suportar o balando da nova laje. A pedido do proprietário o telhado superior foi mantido. O revestimento usado para os pilares é o mesmo que reveste o guarda corpo e a parede externa do closet. 



Mesmo em processo de  finalização, os resultados já são nítidos e as mudanças começar a assumir a identidade da família.

quinta-feira, 22 de março de 2012

Back to the virtual jungle!

Voltei!!! ... e depois de um longo período voltada à dedicações diversas e aleatórias, me reencontro aqui com o mundo das escritas para o além/alguém! Afinal.. "voltei... porque senti saudade do tempo em que andava pela cidade com sustenidos e bemóis..." (Chico Buarque).  

Nos últimos meses mudei quase drasticamente essa minha casa. Fiz reforma completa e tive a convicção que é fundamental mudar diariamente para continuar sendo nós mesmos. É claro que isso tudo não é aceitação do pensamento "falso ideológico" que tanto ouço por ai, e sim a tentativa de assumir o antagonismo das ações e sentimentos que estamos fadados a vivenciar.  

Mas vamos ao convencional! Começo.. ou recomeço falando das coisas boas que aprendi nesses tempos.

 A Bicicleta. Desde o período de aspirante a urbanista estive convicta da importância dos meios alternativos de transporte para a "sanidade mental" da cidade. A cidade caótica, enfumaçada e barulhenta. Pois bem.. cansou desses espasmos causados pela agonia do trânsito, do cheiro e do ruído forte dos motores acelerados? Compre uma bicicleta. Acredite.. ela te levará a lugares nunca antes explorados e sensações nunca antes vividas. Foi assim que voltei a andar e perceber a minha cidade e redescobrir esse universo sensitivo das ruas. Os Cheiros, os gostos, as imagens e os sons que sempre foram grandes atrativos e me levaram a uma auto intitulação de "perambulante oficial" de ruas... agora são percebidos em cima de uma fiel magrelinha que me leva a devaneios e sensações que ficam bem retidos no mundo das minhas idéias. Aconselho.. façam proveito, deliciem-se com o despertar dos sentidos que ela provoca.. e nunca mais serão os mesmos! 



terça-feira, 16 de agosto de 2011

Tapete de entrada

... E finalmente depois de inúmeras tentativas, consegui abrir as portas da minha casa e compartilhar um pouquinho desse meu universo sensitivo!!
Antes de tudo me proponho aqui a deixar registrado tudo aquilo que me comove, me anima e me desloca, como  a música, a arte, a arquitetura e a cidade, e todo o "complexo meio termo" que envolve esses elementos!
Contudo porque o nome "Casa de Eira e Beira"?
Desde pequena sempre fui fascinada pela arquitetura, achava lindo todas as fachadas antigas, com portas estreitas, paredes largas e peitoris profundos! Mas uma coisa sempre me intrigava, nunca entendi o que representavam aquelas pequenas ondas lá no topo da fachada de algumas casas. Passava horas imaginando como alguém perderia tanto tempo para executar aquele serviço supostamente tão desnecessário.
Aos poucos fui descobrindo que aquelas ondinhas chamavam-se "Eiras e Beiras", o que hoje são conhecidas como abas ou beirais. Esse pequeno prolongamento da cobertura era símbolo do poder econômico da família colonial e por isso as mais ricas possuíam as duas estruturas no fechamento do telhado.

Essas foram exatamente as minhas primeiras palavras no primeiro dia de curso de Arquitetura e Urbanismo, as tais "Eiras e Beiras"... e por sinal foi um ótimo começo!